Últimas Notícias

A Batalha pela Água

Foto de capa da notícia

Como você consegue água? Apenas abre a torneira? Ou, como é comum em alguns lugares, precisa andar muito, esperar numa fila e depois voltar para casa carregando um balde pesado com esse valioso líquido? Você gasta muitas horas todos os dias só para conseguir água suficiente para lavar e cozinhar? Essa é a situação em muitos países — a água é escassa e difícil de conseguir. Atualmente cerca de 40% da população mundial tira água de poços, rios, açudes ou poças. Em alguns países, as mulheres levam até seis horas buscando água para a família, carregando vasilhames que, quando cheios, pesam cerca de 20 quilos.

A verdade é que a crise da água e do saneamento básico afeta severamente mais de um terço da população mundial. Em tempos de pandemia da COVID 19 em que a sociedade humana luta pela preservação da vida em todo o mundo contra uma doença cujos prejuízos ainda são indefinidos, precisamos também relembrar desta verdade óbvia: “se acabar a água também se acaba a vida”.

E assim como se lamentam as milhares de mortes causadas pelo Corona Vírus, não se pode desperceber que todo ano, cerca de 2 milhões de pessoas morrem por causa de água contaminada e saneamento básico precário, e 90% das vítimas são crianças.

Nestes tempos de muita reflexão, que possamos avaliar também quais atitudes cada um de nós pode tomar para contribuir na preservação desse bem extremamente precioso e insubstituível que é a água.

Que tal começarmos analisando a Declaração Universal dos Direitos da Água?

No dia 22 de março de 1992, na cidade do Rio de Janeiro, onde decorria uma Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento e Ambiente, a ONU divulgou um importante documento que destaca a importância da conservação da água.

A consciência ambiental é um dos temas relevantes apresentados na declaração. Além disso, ela aborda sobre a preservação e proteção dos recursos hídricos do planeta.

“O equilíbrio e o futuro de nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos. Estes devem permanecer intactos e funcionando normalmente para garantir a continuidade da vida sobre a Terra. Este equilíbrio depende em particular, da preservação dos mares e oceanos, por onde os ciclos começam.” (Artigo 4 da "Declaração Universal dos Direitos da Água").

A Declaração Universal dos Direitos da Água é dividida em dez artigos, os quais destacam:

Art. 1º: A água faz parte do patrimônio do planeta.

Art. 2º: A água é a seiva do nosso planeta, ou seja, é a condição essencial de vida de todo ser vegetal, animal ou humano.

Art. 3º: Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados.

Art. 4º: O equilíbrio e o futuro do nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos.

Art. 5º: A água não é somente uma herança dos nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores.

Art. 6º: A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo.

Art. 7º: A água não deve ser desperdiçada, nem poluída, nem envenenada.

Art. 8º: A utilização da água implica no respeito à lei.

Art. 9º: A gestão da água impõe um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social.

Art. 10º: O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra.


Há mais de 30 anos a Hidrosam vem se empenhando nesta batalha pela água. E só o fato de você ter lido este texto, já é uma vitória para todos nós.

Autor: Da redação.
Fonte: https://www.jw.org/pt/biblioteca/revistas/g200901/Estamos-ficando-sem-%C3%A1gua/ (com adaptações).