Últimas Notícias

Confira os avanços no tratamento de esgoto com a tecnologia nereda

Foto de capa da notícia

A tecnologia Nereda surgiu na Holanda e foi desenvolvida pela Universidade de Tecnologia de Delft. Trata-se de um sistema de tratamento de esgoto revolucionário que utiliza biomassa aeróbica granular e que não necessita da adição de produtos químicos, gasta menos energia, ocupa espaços reduzidos e garante um bom resultado.

Para entender melhor o assunto e conhecer as vantagens dessa tecnologia, conversamos com Giancarlo Ronconi, diretor de novas tecnologias da BRK Ambiental. Continue lendo e confira!

Conheça a tecnologia Nereda

Nereda é o nome fantasia (inspirado nas ninfas das águas da mitologia grega) para um tipo de tratamento de esgoto. O procedimento é feito com biomassa granulada, enquanto o tratamento convencional geralmente é floculento. Assim, por meio da tecnologia Nereda, o lodo do esgoto é transformado em grânulos que são facilmente decantáveis. A base do Nereda é biológica, e todo o processo é feito sem a adição de produtos químicos.

Este método é considerado revolucionário para o tratamento de esgoto, e inclusive foi eleito como o melhor avanço em tecnologia da última década pela Global Water Intelligence, principal publicação mundial sobre saneamento e líder em pesquisa nos mercados internacionais de água. A tecnologia Nereda já é utilizada em diversos países, como Holanda, África do Sul, Irlanda, Portugal, Austrália, Inglaterra, China, Polônia e, é claro, Brasil.

O tratamento de esgoto é mais eficiente com a tecnologia Nereda

A tecnologia Nereda tem impacto em diversos setores econômicos e sociais. Isso porque ela promove o tratamento dos esgotos a nível terciário, ou seja, com a remoção de nutrientes (nitrogênio e fósforo) pelo mesmo valor de investimento feito em um sistema de tratamento secundário (simples remoção de carga orgânica).

Dessa forma, é uma tecnologia que requer menos investimentos e também gera menos gastos operacionais. Além disso, o tratamento é todo automatizado, o que exige menos mão de obra para operar a estação.

De acordo com Giancarlo, o esgoto tem mais de 3 mil tipos de famílias de bactérias, e apenas algumas delas têm as características necessárias para transformar o lodo em grânulos. Dessa forma, o Nereda separa, hidraulicamente, os micro-organismos que devem ficar daqueles que precisam ser retirados do sistema.

As bactérias se organizam de forma diferente no Nereda, quando comparado com o modelo tradicional. No grânulo, elas ficam na parte interna, que é um biopolímero. Nessa região, existem bactérias que acumulam glicogênio e fosfato. Também é possível encontrar as nitrificantes e desnitrificantes.

Ou seja, o grânulo reúne diferentes tipos de tratamento existentes em uma estação de tratamento de esgoto tradicional, realizando os processos requeridos e, por se aglutinar, ele decanta muito mais rápido.

Em relação a uma estação tradicional, o Nereda não necessita do tanque inicial, não passa por etapa de reciclagem e nem pelo decantador final. Por isso, a estrutura que a tecnologia requer é bem menor que a usada nos tratamentos convencionais.

As vantagens do sistema Nereda para o saneamento

A tecnologia Nereda é uma inovação pioneira no país ao utilizar produtos 100% biológicos. Trata-se de uma tecnologia que ajuda a reduzir o impacto ambiental nas operações de tratamento de esgoto, pois garante um efluente de maior qualidade, gerando uma água muito mais limpa no final do processo.

Outra vantagem é que o Nereda reduz o tamanho da estação de tratamento de esgoto em comparação com os processos convencionais, como o de lodos ativados. Em relação a essa tecnologia, a planta do Nereda pode ser até quatro vezes menor.

A tecnologia cria um lodo granular e utiliza apenas um tanque nos processos unitários, como na entrada de esgoto, aeração e decantação. Ou seja, o Nereda ocupa quase metade da área tradicionalmente necessária e promove o tratamento do mesmo volume de esgoto de uma estação convencional.

Em relação à sustentabilidade, é possível afirmar que o sistema gasta de 30% a 40% menos energia. Além disso, dispensa o uso de produtos químicos e o processo resulta em um esgoto tratado com excelente qualidade, incluindo a remoção de nitrogênio e de fósforo.

O Nereda também diminui os gastos de manutenção e operação, consumindo menos energia no decorrer da sua implantação. O custo operacional é considerado cerca de 25% menor que o gasto realizado em processos de tratamento convencionais, como lodos ativados.

Além do esgoto doméstico, o sistema também é usado em indústrias de diversos segmentos, principalmente de laticínios e cervejarias. Por ser um método robusto, ele aguenta bastante carga.

Autor: BRk Ambiental.
Fonte: Br Kambiental.