Últimas Notícias

Gestão de obras: como fazer, qual a importância e dicas

Foto de capa da notícia

Para que tudo em uma construção saia conforme o planejamento, é preciso que haja uma boa gestão de obras, com foco na melhor execução dos processos.

No segmento da construção não há espaço para improvisos e erros recorrentes.
Portanto, cabe aos arquitetos e engenheiros fazerem com que tudo corra bem durante as obras.

Seja para pequenos, como médios e grandes empreendimentos, manter o controle é um enorme desafio. Falhas não são toleradas e o nível de exigência é alto.

Aos poucos, porém, o jeito arcaico de comandar uma obra — do escritório de engenharia ao canteiro de construção — vem evoluindo.

O estudo sobre gestão de obras se transformou e, com o uso de tecnologias e sistemas para melhorar o gerenciamento, os resultados foram melhorando.

Aos poucos, a estratégia foi reforçada e hoje empresas de todo mundo revolucionam a forma de entregar as suas obras.

Tudo com ações que não necessariamente se restringem ao canteiro, mas que começam no backoffice, no planejamento.

Neste artigo, falamos mais sobre como promover um bom gerenciamento de obras para evitar prejuízos e realizar os projetos com eficiência. Além disso, você vai entender o papel da tecnologia para desempenhar uma melhor gestão de obras.

O que é e para que serve a gestão de obras?
Faz parte da gestão de obras tudo o que envolve a gestão de equipe, recursos e tempo para que o cronograma da obra seja devidamente cumprido.

Visa também detectar qualquer problema e pensar em soluções para o mesmo.
É uma forma de garantir que a qualidade do trabalho não seja comprometida dentro do canteiro de obras.

Também é possível cumprir a previsão financeira acordada no orçamento inicial, evitando que sejam necessários novos investimentos ou haja desperdício de recursos.

A estratégia ainda se estende até o correto gerenciamento de pessoal, coordenando e supervisionando a ação de toda equipe diversificada que, comumente, ocupa os postos em um projeto de construção civil.

Ou seja, a gestão de obras não se trata apenas de organizar processos, mas de garantir o sucesso de cada projeto — assegurando que cada etapa tenha o melhor planejamento e execução possíveis.
Dessa forma, o gerenciamento se aplica no direcionamento de um projeto: como as decisões devem ser tomadas para que se atinjam os objetivos específicos e gerais da obra.

No Brasil, o assunto é tema de lei (5.194/96), que atribui a questão a arquitetos e engenheiros civis.

Como funciona uma gestão de obras?
Na prática, a gestão de obras se ocupa em administrar materiais, recursos e pessoas durante a execução de um projeto, sempre utilizando técnicas e estratégias de gestão que permitam à equipe e a empresa alcançar as metas estabelecidas.

Funciona em várias frentes, tanto no planejamento, como coordenação e também na execução e conferência de uma obra.

Depende de uma equipe especializada em todo processo de construção, com capacidade de lidar com problemas e gerenciar o time e a obra.

Entre as etapas que compõem o gerenciamento, podemos destacar:
• Contratar mão de obra;
• Cumprir com orçamento da obra;
• Garantir a segurança do trabalho;
• Direcionar a obra conforme escopo;
• Gerenciar profissionais e suas entregas;
• Respeitar ao máximo o cronograma predefinido;
• Fiscalizar internamente a execução dos processos;
• Manter um bom relacionamento com os stakeholders do projeto;
• Definir materiais de construção, coordenar sua compra e acompanhar a utilização, evitando desperdícios.

Nessas tarefas, o papel do gestor é fundamental.

No entanto, uma ou duas pessoas nunca serão o bastante para controlar o fluxo de informações. É por isso que cada vez mais empresas buscam o apoio na tecnologia.

De forma geral, é possível apontar como função da gestão de obras a necessidade de direcionar a construção para que atinja, em todas as esferas, os objetivos estabelecidos.

Seja em relação à qualidade, ao tempo, ao orçamento e às demais diretrizes definidas.

Por que a gestão de obras é fundamental na construção civil?
A gestão de obras é fundamental para o funcionamento de uma empresa do setor de construção.
Muitas vezes, sua importância está mais em coordenar o fluxo de informações e organizar a comunicação entre as partes.

Esse é um problema constatado pelas maiores firmas do meio.

Um estudo da Autodesk & Dodge Data & Analytics identificou que 60% dos empreiteiros vêem como os principais contribuintes para a diminuição da produtividade do trabalho:

• Os problemas de coordenação e comunicação entre os membros da equipe do projeto;
• E a falta de qualidade dos documentos do contrato.

É possível perceber como a “bola de neve” surge, certo? Sem uma boa gestão, que alinhe questões de comunicação e informações, centralizando as execuções, fica difícil tornar o time produtivo.
Inclusive, esse é um ponto que a tecnologia costuma ajudar bastante.

Conforme dados de um estudo da Autodesk, 35% do tempo dos profissionais de construção (mais de 14 horas por semana) é gasto em atividades não produtivas, como a busca por informações do projeto, em questões de resolução de conflitos e também ao lidar com erros e retrabalhos.
Portanto, é preciso estabelecer estratégias realmente eficazes. Dessa forma, é possível realizar a melhor gestão de obras e entregar o projeto conforme escopo.

Veja a seguir as principais vantagens que um bom gerenciamento proporciona.

Produtividade
A produtividade é um dos maiores e mais importantes ganhos que uma boa gestão pode oferecer.
Isso ajuda para que a realização das atividades esteja de acordo com todos os requisitos de qualidade e com o cronograma.

Um modelo de produção automatizado favorece a otimização da organização do trabalho, além de ser um indicador da qualidade do serviço feito nos projetos.
Portanto, o gerenciamento está conectado com a estratégia produtiva da instituição.

Redução de custos
Para gerar redução de custos, também é preciso que haja uma boa gestão.
Isso porque os atrasos, contratações equivocadas e outros problemas podem surgir a partir de um mau planejamento e cuidado do gestor.

A refação de trabalho é um dos fatores que mais geram gastos desnecessários, portanto, evitando esse problema é possível economizar tanto recursos quanto tempo dos profissionais.

Controle de materiais
Outra vantagem é poder contar com um controle de materiais que se traduz também em economia.

Um bom gestor de obras evita o desperdício por meio de um registro de todos os materiais, acompanhando seu uso para que seja adequado conforme a necessidade.

Assim, não será necessário solicitar mais materiais para fazer o trabalho e a previsão de insumos será cumprida conforme o planejado no início do projeto.

Um sistema de gestão pode ser útil para manter esse monitoramento de materiais e evitar desperdícios.

Além disso, esse tipo de sistema ajuda na hora de verificar dados históricos e criar cálculos mais precisos de quantidade de matéria-prima necessária, assim evitando desperdício de materiais comprados que não terão serventia.

Antecipação de problemas
Como mencionado anteriormente, quando há um bom planejamento do projeto, antes mesmo que ele se inicie, são previstos possíveis riscos.

Assim, já se tem uma estratégia para essas questões serem resolvidas de forma rápida e com o mínimo de prejuízos.

Com isso, o tempo de resposta para a resolução de uma falha ou outro problema na obra será menor.
Solucionar esse tipo de situação de forma rápida evita que o problema se agrave e o projeto seja prejudicado.

Entregas no cronograma
Uma das principais metas da gestão é entregar os projetos dentro do cronograma estipulado.
Isso é possível quando o gestor planeja a execução das atividades da obra para que estas sejam feitas com eficiência e qualidade.

Um problema que preocupa o gestor é não cumprir o cronograma e precisar de mais tempo para finalizar o projeto.

Para evitar isso é possível contar com um sistema de gestão de obras.

Acompanhamento do andamento do projeto
Você sabe ao certo a quantas anda cada etapa do projeto?

Com um registro manual ou por planilhas, de forma descentralizada, normalmente é difícil entender o andamento do projeto.

Um ponto positivo da gestão de obras é estabelecer um cronograma de entregas, bem como um meio para reports de cada responsável, criando uma “régua” que meça o avanço da construção.
Esse é um ponto em que o sistema de gestão se encaixa como uma luva, pois permite centralizar as informações e criar uma linha do tempo visual sobre o desenvolvimento do projeto.

Dessa forma, é possível compreender de forma mais aprofundada o que está dando certo e as oportunidades de melhoria para aplicar no canteiro de obras

Auxilia na gestão da qualidade
Outro fator que quase sempre passa despercebido no canteiro de obras é a gestão da qualidade.
Muitas vezes, isso é ocasionado por conta do mau planejamento, que torna o cronograma apertado e obriga as equipes a apressarem as execuções.

Com uma gestão eficiente, é possível desenhar um planejamento condizente com os recursos e com a capacidade produtiva do seu time. Assim, você encontra formas de otimizar rotinas produtivas, agilizando algumas entregas.

Dessa forma, só melhora e dá mais tempo para a correta gestão da qualidade, que envolve muito trabalho de inspeção e verificação de compliance, evitando retrabalhos.

Nesse processo, o sistema de gestão pode ajudar bastante, automatizando a geração de relatórios que servem de insumo para o time de qualidade.

Assim, é possível por exemplo trocar fornecedores com antecedência, antes de se comprometer com grandes pedidos.

Auxilia na gestão de pessoas
Um tópico mais relacionado à implementação da tecnologia na gestão de obras: com uso de um sistema de gestão, é possível integrar várias áreas envolvidas no projeto.

Assim, responsáveis por partes como hidráulica, saneamento, infraestrutura, bem como incorporadoras, construtoras e empreiteiras ficam à par do avanço, com distribuição de informações corretas.

Além disso, para o gestor, esse controle pode ser mais específico, entendendo como e o quê cada um da equipe realiza o seu trabalho — bem como seu nível de entrega, dependendo da forma de mapear o desenvolvimento do projeto.

É algo que já acontece com uso, por exemplo, de dispositivos IoT que utilizam Inteligência Artificial para medir o avanço da construção e atualizar stakeholders, bem como destravar gatilhos contratuais em smart contracts.

Autor: Replicada de Site Blog da Totvs.
Fonte: Blog da Totvs.